5 países que estão bem mais fodidos que o Brasil

5 países que estão bem mais fodidos que o Brasil

Costuma-se dizer que nós latinos fazemos tudo intensamente. Aliás, brasileiros são latinos ou não? Já vi argumentos acirrados defendendo os dois lados da discussão. Uns dizem que não porque (motivos pelos quais não me importo), já outros insistem categoricamente que sim porque (não faço a menor idéia, eu joguei a pergunta no Twitter e fui jogar Mortal Kombat 2).

Enfim. Essa intensividade latina se manifesta de várias maneiras; no que diz respeito a brasileiros e sua identidade nacional, é 8 ou 80 — temos os brasileiros ultra-ufanistas que vociferam que americanos são imperialistas invasores culturais (obrigado, décadas de história e geografia sendo ensinadas por esquerdistas!), e temos os brasileiros que se auto-odeiam e veneram qualquer coisa de fora (obrigado, Plano Real e o êxodo turístico da classe média em direção à Flórida nos anos 90). Vai me falar que você não teve um parente que passou duas semanas em Orlando naquele itinerário clichê de outlet-parque de diversão e voltou torcendo o nariz pra TUDO no nosso país? Então.




Se você interage bastante com a galera nesse segundo grupo, você certamente terá a impressão de que o Brasil é o país mais fodido DO MUNDO. Entretanto, existem inúmeros países que fazem o Brasil parecer a Suécia do Hemisfério Sul. Por exemplo…

Eritrea

eritrea

Começo logo com o país mais enigmático da lista. Eu seria capaz de apostar que você nunca ouviu falar da Eritrea na vida, e é assim mesmo que eles querem — não existe nenhuma rede de mídia privada lá, é tudo controlado pelo governo. A Eritrea chega a ser pior que a Coréia do Norte no contexto de liberdade jornalística; não existe literalmente nenhum correspondente de nenhuma emissora lá. Uma total catástrofe social pode estar acontecendo lá neste exato momento, e jamais saberíamos.

Pra você ter uma noção da miséria que é o país, 32% do produto interno bruto é composto de dinheiro que imigrantes mandam de volta pra alimentar suas famílias lá.

Somália

somalia

Sabe aquele seu amigo da universidade metido a intelectual de YouTube que juuuuuuuuuuuuura que todos estaríamos em situação melhor se não existisse governo algum? Não que o maluco esteja inteiramente errado em pôr grande parte da culpa dos problemas sociais no Estado, mas a fé de que uma anarquia completa resolveria a situação é mais fantasiosa que o credo socialista.

Então, você poderia convidar este seu amigo a se mudar pra Somália! Virtualmente sem governo desde 1991, o país africano vive em quase completa anarquia — não existe nenhuma regulação de comércio ou indústrias, por exemplo. Não existe nenhum tipo de licenciamento ou fiscalização para indivíduos que exercem profissões formais, também. Se você precisar de uma cirurgia ou de uma viagem de avião na Somália, tudo que eu posso te dizer é “boa sorte”.

A propósito, a expectativa de vida na Somália é 50 anos. E apenas 24% da população adulta é alfabetizada.

anarcocapitalismo

A meritocracia plena em ação

E as armas que os anarcocapitalistas amam? Tem bastante lá na Somália, também. Aliás, com todos esses fatores, é de surpreender que o maior produto de exportação da Somália é a pirataria?

Etiópia

etiopia

A gente sabe por senso comum que a vida na África não é fácil. Mesmo o brasileiro mais reclamão poderá admitir que as coisas no nosso país são bem melhores do que até o melhor país africano. O que eu não sabia é que a existência etíope é essencialmente um pesadelo, especialmente se você é mulher.

Na Etiópia, quase 70% dos matrimônios são fruto de uma prática cultural chamada “CASAMENTO POR SEQUESTRO”, que é exatamente o que parece. O maluco surge na calada da noite na casa da menina que ele gosta e, com ajuda de amiguinhos, rapta a menina e a esconde até que esta engravide. Uma vez que a menina engravidou, culturalmente o cara fica legitimizado como “pai” da criança e dono da garota. A Etiópia criminalizou a prática (em 2004!!!!), mas é como se ainda fosse perfeitamente legal. Caso alguém reclame, é só o malandro pagar um “dote” pro pai da moça e tá tudo resolvido.

A propósito, 3 entre cada 4 mulheres etíopes tiveram seus clitoris amputados através de outra prática cultural grotesca que só foi ilegalizada em 2004. Me dá arrepios nma espinha imaginar as condições precárias em que esse procedimento é realizado (lâminas enferrujadas em copinhos de requeijão vêm à mente) e eu sequer tenho um clitoris.

Mas por favor, me conte aí nessa sua fanfic de Facebook como o Brasil é o país mais misógino do mundo.

Serra Leoa

serra leoa

Ok já tô começando a ficar deprimido aqui. A África foi plenamente fodida pelos poderes europeus de várias formas diferentes, e em nenhum país isso é mais prontamente visível que a Serra Leoa. Dois terços da população precisa viver de agricultura de subsistência, apenas 8% das estradas são asfaltadas, menos de 20% da população tem água encanada em casa.

A infraestrutura lá é tão fodida que quando rolou aquela epidemia de Ebola em 2014, o sistema precário de saúde dos caras ficou tão sobrecarregado que mais pessoas morreram de negligência médica do que de Ebola. Por outro lado, considerando o tipo de condição miserável em que os hospitais lá se encontram, a morte do paciente pode ser em alguns casos encarada como uma melhoria.

Coréia do Norte

coreia

Só pra não dizer que só tem país ruim na África.

A Coréia do Norte não é nem exatamente um país; ela é na real como se alguém tivesse lido 1984 e resolveu fazer um cosplay de Oceania em escala nacional. Dos campos de trabalho forçado a la Auschwitz, à miséria da população enquanto o governo gasta dinheiro com obras grandiosas pra manter a aparência de que tudo está indo bem (tipo você encolhendo a barriga após deixar a churrascaria de rodízio no vermelho), e até essa foto do espaço que mostra o quão atrasado o país é em matéria de infraestrutura:

Como a Coréia do Norte é meio fechada pro mundo, quase tudo que sabemos sobre a parada vem de relatos de gente que conseguiu escapar. Tais relatos envolvem experimentos médicos em prisioneiros políticos, estupros, escravidão, reeducação política (eu falei que era igual a 1984, né?), entre outras coisas.

O Brasil tem muito no que melhorar, você teria que ser maluco pra negar isso. Mas é bom ter um pouco de perspectiva do que é um país realmente fodido antes de sair fazendo aquele textão revoltado no Fêice dizendo que está com as malas prontas pra Miami.

Deixe uma resposta